Docência‎ > ‎

Multimédia I

Enquadramento e objectivos da disciplina

Sistema de avaliação de conhecimentosPrograma da disciplina

Bibliografia Principal

Bibliografia Complementar

Meios informáticos de apoio

Guia para a elaboração e avaliação do trabalho prático

Propostas para os projectos multimédia

Links

Enquadramento e objectivos da disciplina

O conceito Multimédia designa uma área tecnológica que se tem vindo a desenvolver com bastante rapidez, envolvendo um número crescente de aplicações que abrangem sectores económicos tão diversos como a electrónica de consumo, o entretenimento, a televisão difundida e por cabo, a educação e a formação profissional, as telecomunicações, a indústria de computadores e as editoras. Este espectro de sectores envolvidos, aliado aos avanços rápidos que se verificam nas tecnologias digitais de suporte fazem do multimédia um dos temas mais envolventes desta década. Ao envolver a manipulação e a integração de tipos de informação audiovisual proveniente de fontes tão distintas como sejam o vídeo, o áudio e a imagem, a tecnologia multimédia assume-se como a tecnologia do futuro na convergência das áreas da comunicação e da informática.

Esta disciplina tem como objectivo principal fornecer ao aluno um panorama das aplicações multimédia existentes e das tecnologias que as suportam. Pretende-se identificar com clareza os princípios fundamentais e as questões envolvidas no desenvolvimento de aplicações multimédia, descrever os aspectos técnicos sobre os quais se fundamentam estas aplicações e responder às questões mais frequentes que surgem nesta área. O aluno deverá ficar habilitado com conhecimentos teóricos e capacidades técnicas que lhe permitam explorar as capacidades de texto, imagem, áudio, vídeo e interactividade das diversas tecnologias da comunicação multimédia.


Sistema de avaliação de conhecimentos

1 - Avaliação periódica
O método de avaliação da disciplina baseia-se no modelo da avaliação periódica e compreende duas componentes: uma componente teórica, e uma componente prática resultante da realização de problemas de projecto.

Componente Teórica
A avaliação da componente teórica é constituída por uma (1) prova escrita que se realiza em data a combinar com os alunos. A prova escrita é uma prova sem consulta e contém uma parte teórica com a duração máxima de 20 minutos e uma parte de desenvolvimento com a duração máxima de 40 minutos, incluindo tolerância, incidindo sobre todo o programa da disciplina leccionado, e tendo um peso de 50% na classificação final. O formato da prova inclui questões de escolha múltipla, aplicando-se um desconto por resposta errada, que é equivalente a 50% da cotação da pergunta. Nesta componente, é exigida uma classificação mínima que seja, pelo menos, igual ao valor inferior da classificação, que num exame, dá acesso à oral, para que se possa ponderar com a classificação da componente prática para efeitos de cálculo da classificação final na disciplina.

A falta ao momento de avaliação será convertida numa nota 0 (zero) para efeitos de cálculo da classificação. Caso o aluno não fique aprovado, será remetido para exame de recurso ou especial (seja trabalhador-estudante ou finalista), desde que o aluno tenha obtido a aprovação na componente prática da disciplina e cumprido o regime de assistência às aulas. Nesta aulas, a presença é obrigatória em, pelo menos, 40% das aulas dadas.

Componente Prática (PRANL)
A componente prática tem um peso de 50% na classificação final da disciplina. A avaliação da componente prática realiza-se de modo contínuo durante as aulas, através da realização de um trabalho prático do tipo projecto. O trabalho prático deve ser desenvolvido utilizando as metodologias e ferramentas de autoria multimédia previstas no programa da disciplina, e consiste do planeamento e concepção de um projecto de uma aplicação multimédia, para suporte CD-ROM ou para a World Wide Web. O trabalho prático de projecto é um trabalho de grupo, sendo que cada grupo é constituído no máximo por 4 alunos. O trabalho prático envolve a concepção de imagens, gráficos e outros conteúdos multimédia tendo como objectivo a familiarização do aluno com os vários tipos de ferramentas de desenvolvimento de conteúdos e de aplicações multimédia existentes actualmente. Serão feitas várias propostas para os projectos, cabendo aos alunos a sua especificação em termos de guiões e mapas de navegação e desenvolvimento de um protótipo. A avaliação do projecto incide sobre vários tópicos relacionados com o funcionamento, a interactividade e o aspecto gráfico da aplicação multimédia e engloba a apresentação de um relatório final sobre o trabalho desenvolvido, que deve ser apresentado em formato electrónico. Os projectos propostos têm um carácter simples e funcional e destinam-se a avaliar a percepção que os alunos adquiriram dos vários aspectos envolvidos na produção multimédia.

A falta a este elemento de avaliação será convertida numa nota 0 (zero) para efeitos de cálculo da classificação. Os alunos com classificação inferior a 10 valores na componente prática são declarados "não aprovados" à disciplina, independentemente do resultado da avaliação da componente teórica. Nesta aulas, a presença é obrigatória em, pelo menos, 70% das aulas dadas.

Componente Prática - alunos com o estatuto de Trabalhador-Estudante
No caso de alunos com o estatuto de trabalhador-estudante, e com impossibilidade de presença nas aulas práticas não laboratoriais, a componente prática da avaliação será substituída por um teste prático a realizar na última aula prática não laboratorial versando toda a matéria leccionada nessas aulas práticas não laboratoriais. Para estes casos, a classificação da componente prática está sujeita às regras acima definidas para esta componente da avaliação.

NOTA IMPORTANTE: Os alunos com estatuto de trabalhador-estudante que optem por esta última modalidade de avaliação da componente prática devem comunicar isso ao docente, por escrito, até ao prazo máximo de 3 semanas depois do início das aulas. No caso de não haver qualquer comunicação em contrário, todos os alunos, incluindo outros trabalhadores-estudantes, estão sujeitos à avaliação prática em sala de aula.

Classificação final
A classificação final da disciplina obtém-se través da seguinte expressão:

Nota final = 50% Nota componente teórica + 50% Nota componente prática não laboratorial

Ao aluno, só será contabilizada a classificação obtida na componente teórica da disciplina se o aluno tiver obtido uma classificação na componente prática igual ou superior a dez (10) valores. De igual modo, exige-se uma nota mínima na componente teórica que seja, pelo menos, igual ao valor inferior da classificação, que num exame, dá acesso à oral para que se possa ponderar com a classificação da componente prática não laboratorial.

A classificação final da disciplina e as diversas classificações dos outros elementos, traduzidas numa escala de 0 a 20 valores, serão publicadas em pauta elaborada pelo docente e disponibilizada on-line na página Web da disciplina.

2 - Exame de Recurso/Época especial:

Componente Teórica
É constituída por um exame versando toda a matéria leccionada na disciplina, com a duração máxima, incluindo tolerância, de 60 minutos. O formato do exame inclui questões de escolha múltipla, aplicando-se um desconto por resposta errada, que é equivalente a 50% da cotação da pergunta. O aluno só se poderá submeter a este exame se tiver sido aprovado na componente prática desta disciplina e tenha cumprido as assiduidades mínimas estabelecidas no regulamento pedagógico. É exigida uma nota mínima que seja, pelo menos, igual ao valor inferior da classificação, que num exame, dá acesso à oral, nesta componente teórica da avaliação para que se possa ponderar com a nota da componente prática para efeitos do cálculo da nota final.

Componente Prática (PRANL)
É constituída um teste prático a realizar na mesma altura do exame da componente teórica, e versando toda a matéria leccionada nas aulas práticas não laboratoriais, tendo a duração máxima de 30 minutos.

Classificação final
A classificação final da disciplina obtém-se través da seguinte expressão:

Nota final = 50% Nota exame componente teórica + 50% Nota exame componente prática

A classificação final da disciplina e as diversas classificações dos outros elementos, traduzidas numa escala de 0 a 20 valores, serão publicadas em pauta elaborada pelo docente e disponibilizada on-line na página Web da disciplina.


Programa da disciplina

0. Apresentação
0.1. Descrição do conteúdo programático da disciplina.
0.2. Descrição do método de avaliação da disciplina.
0.3. Apresentação da bibliografia adoptada na disciplina.

1. Introdução ao multimédia
1.1. Motivação e terminologia.
1.2. Enquadramento e caracterização do conceito multimédia.
1.3. Tipos de informação multimédia.
1.3.1. Media estáticos versus media dinâmicos.
1.3.2. Media capturados versus media sintetizados.
1.4. Definição de multimédia.
1.5. Caracterização dos sistemas multimédia
1.5.1. Sistemas controlados por computador.
1.5.2. Sistemas integrados.
1.5.3. Sistemas baseados em informação digital.
1.5.4. Sistemas interactivos.
1.6. Tecnologias multimédia
1.6.1. Classificação das tecnologias multimédia
1.6.2. Aplicações multimédia
1.6.3. Produção multimédia

2. Informação digital e interactividade
2.1. Sistemas multimédia controlados por computador.
2.2. Representação digital da informação.
2.2.1. Definição de digitalização.
2.2.2. Sinais analógicos e sinais digitais.
2.2.3. Fases do processo de digitalização.
2.2.4. Vantagens e desvantagens da digitalização.
2.3. Noção de Interactividade.
2.3.1. Apresentações passivas versus interactivas.
2.3.2. Níveis de interactividade.

3. Autoria e projecto de aplicações multimédia
3.1. Tipos de aplicações multimédia interactivas.
3.1.1. Taxonomia de aplicações multimédia.
3.1.2. Características e utilizações dos tipos de aplicações multimédia.
3.2. Noções de autoria, sistema de autoria e paradigma de autoria multimédia.
3.3. Fases do projecto de autoria multimédia.
3.3.1. Planeamento.
3.3.2. Design.
3.3.3. Produção.
3.3.4. Teste e validação.
3.3.5. Distribuição.
3.4. Planeamento do projecto multimédia.
3.4.1. Objectivos.
3.4.2. Metodologia.
3.4.3. Documentos resultantes.
3.5. Design do projecto multimédia.
3.5.1. Objectivos.
3.5.2. Design da estrutura e interactividade da aplicação: mapas de navegação.
3.5.3. Design dos ecrãs: storyboards.
3.5.4. Concepção do guião de uma aplicação multimédia.
3.5.5. Regras para o design da interface do utilizador.

4. Tipos de informação multimédia
4.1. Media estáticos.
4.1.1. Texto e hipertexto.
4.1.2. Desenho vectorial: gráficos.
4.1.3. Imagem bitmap.
4.2. Media dinâmicos.
4.2.1. Vídeo analógico e vídeo digital.
4.2.2. Animação.
4.2.3. Áudio digital, música e fala.
4.3. Operações de conversão entre tipos de informação multimédia.
4.3.1. Operações de síntese.
4.3.2. Operações de reconhecimento.


5. Projecto multimédia
5.1. Planeamento e concepção do guião.
5.2. Aquisição e produção de conteúdos multimédia.
5.2.1. Utilização do Corel Draw na autoria de conteúdos gráficos.
5.2.2. Utilização do Paint Shop Pro na autoria de conteúdos de imagem.
5.3. Prototipagem da aplicação multimédia.
5.3.1. Utilização do Flash MX.
5.3.2. Interface, ferramentas e menus do Flash MX.
5.3.3. Layers, timelines e stages no Flash MX.
5.3.4. Símbolos, efeitos e bibliotecas do Flash MX.
5.3.5. Programação em ActionScript.
5.4. Teste e validação.


Bibliografia Principal

Ribeiro, Nuno Magalhães, Multimédia e Tecnologias Interactivas, FCA - Editora de Informática, Junho 2004, ISBN: 972-722-415-6. [Encomendar livro on-line]


Bibliografia Complementar

[2] Chapman, N., Chapman, J., Digital Multimedia, John Wiley and Sons, 2000, ISBN: 0471983861.

[3] Steinmetz, R., Nahrstedt, K., Multimedia Fundamentals, Volume 1: Media Coding and Content Processing, Second Edition, Prentice-Hall, 2002.

[4] Buford, John K., Multimedia Systems, Addison-Wesley, 1994, ISBN: 0201532581.

[5] Fluckiger, F., Understanding Networked Multimedia, Prentice Hall, 1995, ISBN: 0131909924.

[6] Vaughan, T., Multimedia Making It Work, 3rd ed., Osborne McGraw-Hill, 1996, ISBN: 007882254.

[7] Gibbs, S., Multimedia Programming, ACM Press, Addison-Wesley, 1995, ISBN: 0201422824.

[8] Ferreira, P. Cid, Flash MX 2004: Conceitos e Prática, FCA - Editora de Informática, 2004. ISBN: 972-722-456-3.

[9] Lobo, M., Curso Avançado de Flash MX 2004 , FCA - Editora de Informática, 2004. ISBN: 972-722-437-7.

[10] Oliveira, H., Curso Avançado de Dreamweaver MX 2004 , FCA - Editora de Informática, 2004. ISBN: 972-722-404-0.

[11] Carvalho, F., Composição e Produção Musical com o PC , 2ª edição, FCA - Editora Informática, 2003. ISBN: 972-722-402-4.

[12] Cardoso, B. Vídeo Digital no PC , FCA - Editora Informática, 2003. ISBN: 972-722-420-2.

[13] Todos os manuais das aplicações utilizadas no decorrer das aulas teórico-práticas.

Instruções para obtenção dos ficheiros:

1] Alguns ficheiros encontram-se no formato PDF. Para os abrir e imprimir necessita do Adobe Acrobat Reader .

2] Para fazer a leitura on-line dos apontamentos de um determinado módulo basta seleccionar o ficheiro ou o ícone correspondente na coluna da direita do quadro abaixo, desde que tenha instalado previamente o Acrobat Reader.

3] Para descarregar os apontamentos de um dado módulo para o seu computador basta seleccionar o ficheiro ou o ícone correspondente na coluna da direita do quadro utiliazando o botão direito do rato e escolhendo a opção "Save target As.." no Internet Explorer ou "Save File As" no Netscape.

MóduloTítuloFicheiro 
Projecto Guia para a elaboração do Projecto Multimédia guia_projecto.pdf
Manual Manual de docência da disciplina de Multimédia manual_mult1.pdf


Guia para a elaboração e avaliação do Projecto Multimédia

Está disponível para consulta o guia para a elaboração do projecto prático da disciplina. Este guia, para além de fornecer uma noção da estrutura pretendida para o guião da aplicação multimédia a elaborar, menciona os elementos que serão considerados na avaliação dos guiões dos projectos de aplicações multimédia desenvolvidos como trabalho prático da disciplina. Deverá consultar igualmente o capítulo 11 do livro adoptado como bibliografia principal.


Propostas para o Projecto Multimédia

A aplicação multimédia que poderá desenvolver no âmbito do projecto pode ser uma apresentação, um quiosque, uma aplicação de divulgação promocional ou outra. Deverá consultar o capítulo 11 do livro adoptado como bibliografia principal para recolher mais informação sobre os aspectos a considerar na elaboração do seu projecto. Aqui apresenta-se apenas um conjunto de sugestões que pode considerar para o seu projecto:

  • Site web para divulgação do curso.
  • Livro de turma.
  • Tunas académicas.
  • Promoção e venda de imóveis.
  • Guia das Pousadas de Portugal.
  • Animação cultural da cidade do Porto.
  • Programa cultural da Casa da Música.
  • Serviços do Metro do Porto.


Links

Multimedia Info - o maior índice de links para recursos sobre multimédia

Yahoo Multimedia - catálogo de recursos multimédia

Definitions of Multimedia - definições de conceitos multimédia

Multimedia FAQ - respostas a questões frequentes sobre multimédia

IEEE Multimedia - colecção de artigos sobre aplicações multimédia

Interface Design for Multimedia - guias para a concepção de interfaces multimédia

Graphics/Images Files Formats - descrição de formatos multimédia

Macromedia Flash Tips - indicações úteis para a utilização de Flash

Multimedia Authoring - guias para a escolha de sistemas de autoria multimédia


Comments